everyonesmiling               ©
A diferença do amor e do ódio,é que pelo ódio a gente mata e pelo amor a gente morre. — Renato Russo

Ela morreu em 1870. Ataque do coração, ou o melhor, coração carregado de amor. Ela amava demais, ela era tudo de bom, ela era um anjo, e ela não era correspondida. Ela era boa demais para ficar nesse mundo, e ela se foi para um lugar tão bom quanto o seu coração preenchido de amor e dor.


A Escritora de Bar.   (via alentador)

Passo metade do dia me convencendo que não sinto a sua falta, mas pra quê? No final de tudo, todas as minhas madrugadas acabam sendo suas.


Orquestrando.

Quero você aqui, no meio das minhas coisas, meus livros, discos, filmes, minhas ideias, manias, suspiros, recortes. Respirando o mesmo ar… Vem e fica.


Gabito Nunes. 

É um bocado difícil manter um comportamento exemplar com pessoas que a gente não suporta, principalmente quando não se sente uma única palavra do que se está dizendo.


O Diário de Anne Frank 

Eu não a culpo. Não podemos escolher quem amamos.


Game of Thrones 

Livros são os mais silenciosos e constantes amigos; os mais acessíveis e sábios conselheiros; e os mais pacientes professores.


Charles W. Elliot.

Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar.


Nelson Mandela  

Tecnicamente, eu estou solteira. Mas meu coração está tomado por alguém que eu não posso chamar de meu.


Gossip Girl. 

Porque no final, quando você perde alguém, todas as velas, todas as orações, não vão mudar o fato que a única coisa que você deixou é um buraco na sua vida onde aquela pessoa que você se importava costumava estar.


The Vampire Diaries.

. via alentador

Foi a primeira vez que ele olhou dentro de mim. Foi a primeira vez que alguém me tocou sem encostar a mão.


Thiara Macedo (sdpm)

. via thiaramacedo

Olhe, tenho uma alma muito prolixa e uso poucas palavras. Sou irritável e firo facilmente. Também sou muito calmo e perdôo logo. Não esqueço nunca. Mas há poucas coisas de que eu me lembre.


Clarice Lispector. 

Sinto saudades de amigos que nunca mais vi, de pessoas com quem não mais falei ou cruzei. Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei! De quem disse que viria e nem apareceu, de quem apareceu correndo, sem me conhecer direito, de quem nunca vou ter a oportunidade de conhecer. Sinto saudades dos que se foram e de quem não me despedi direito. Sinto saudades de coisas que nem sei se existiram.


Martha Medeiros. 

Nunca me senti bem sozinho:
às vezes era bom, mas nem sempre.


Charles Bukowski.